Por Redator da SalaryFits

Como a saúde financeira impacta no bem-estar dos colaboradores

É inegável: a saúde financeira impacta todas as áreas da vida. Da autoestima ao convívio com amigos, o equilíbrio das finanças é um dos fatores de maior influência na nossa percepção sobre a qualidade de vida. 

Falar sobre finanças não é, necessariamente, falar sobre dinheiro. Na realidade, a reflexão está muito mais relacionada ao que os recursos que possuímos são capazes de proporcionar, em termos de patrimônio, e em experiências que desejamos viver ou possibilitar para quem amamos.

Por isso, sabendo do papel central que o contexto financeiro ocupa na vida e os impactos que ele é capaz de gerar no bem-estar físico, mental e social, é fundamental que as empresas e, em especial, a equipe de recursos humanos, busquem estratégias para facilitar o acesso dos colaboradores a uma melhor qualidade de vida.

Para entender como a saúde financeira impacta no bem-estar geral dos colaboradores e, ainda, como a empresa pode contribuir nesse processo, continue a leitura!

Impactos da saúde financeira na vida dos colaboradores

O olhar para o colaborador, por parte do analista de RH, precisa ser amplo: não há como separar o que acontece na vida pessoal do indivíduo com o que acontece no dia a dia do trabalho. Afinal, é a mesma pessoa que vivencia tudo isso!

Dessa forma, vale refletir sobre quais são os principais impactos das finanças em cada uma das áreas da vida. Confira:

Impactos na saúde física

Um cenário de problemas financeiros impacta, invariavelmente, a saúde física. Afinal, não há como negar que o acesso a atividades e itens que impactam nossa saúde corporal, como a realização de atividades físicas e alimentação adequada, têm um custo associado.

Nesse sentido, é extremamente importante que a empresa discuta e implemente estratégias, junto aos colaboradores, que facilitem o acesso deles à iniciativas que permitam uma melhor qualidade de vida, seja no que tange ao acesso à profissionais da área de saúde, a estabelecimentos como academias, por exemplo, ou a benefícios corporativos que dêem acesso à uma alimentação mais saudável.

Pense: não é um favor que a empresa estará fazendo aos seus funcionários. Na realidade, esse é um investimento voltado para a qualidade de vida deles e que, provavelmente, funcionará como fator impulsionador da produtividade, motivação e, no fim das contas, melhoria dos indicadores de gestão de pessoas.

Impactos na saúde mental

A relação íntima entre saúde financeira e saúde mental talvez seja uma das mais simples de se perceber. Afinal, quem de nós nunca passou por uma dificuldade financeira que trouxe reações como ansiedade, estresse, irritação, desânimo, e outras?

Essa realidade é comprovada por dados: uma pesquisa realizada pelo SPC Brasil (Serviço de Proteção ao Crédito) mostrou que aproximadamente 80% dos consumidores endividados sente ansiedade ou outras emoções negativas por não conseguir manter as contas em dia. 

Dentre os diversos sentimentos citados, a campeã foi a ansiedade, mencionada por 63,5% dos entrevistados, seguida por estresse e irritação (58,3%), tristeza e desânimo (56,2%), angústia (55,3%) e vergonha (54,2%).

Um levantamento feito pela mesma instituição aponta que o número de consumidores em situação de inadimplência já passa dos 63 milhões. Isso significa que aproximadamente 30% da população brasileira está passando por dificuldades financeiras. 

Sendo assim, é possível imaginar que esse tipo de problema não está tão distante da realidade dos seus colaboradores, certo? E, indo além, é importante refletir: como esse cenário de incerteza e dificuldade financeira pode impactar a produtividade, a satisfação e o envolvimento dos funcionários em relação ao trabalho e a empresa?

Impactos na socialização

Os impactos da vida financeira na socialização também são bastante comuns. Podem ser diretos, como por exemplo a não participação em eventos sociais devido à falta de recursos financeiros, mas também podem ser indiretos e, não por isso, menos importantes.

Um exemplo de consequência indireta relevante da vida financeira na socialização e convivência é apontado em outra pesquisa do SPC Brasil, a qual mostrou que 46% dos casais brasileiros brigam por dinheiro. 

Um outro aspecto importante a se pensar, que une as perspectivas de saúde mental e bem-estar social, é o impacto das finanças na autoestima, a qual, por sua vez, influencia as relações sociais que nos sentimos merecedores de construir. 

A baixa autoestima, trazida muitas vezes pelas dificuldades financeiras vividas, prejudicam a percepção do colaborador sobre seu valor pessoal e, muitas vezes, profissional. Por isso, ele pode apresentar mais dificuldades para interagir com os colegas de trabalho ou outros grupos sociais aos quais costumava frequentar e se sentir à vontade. 

Como a empresa pode ajudar a melhorar a saúde financeira dos colaboradores? 

Uma coisa é certa: as empresas podem e devem contribuir no processo de independência e melhoria da qualidade de vida financeira dos colaboradores! Não apenas pelo papel social que os empregadores possuem, mas também porque esse investimento é capaz de render frutos em produtividade, motivação, melhoria do ambiente organizacional e lucratividade.

A grande pergunta que fica é: como a empresa que você trabalha pode fazer isso? Separamos algumas ideias bem práticas para você experimentar!

Benefícios corporativos

Essa alternativa é, provavelmente, a primeira que te veio à mente. De fato, a implementação de benefícios corporativos competitivos, que realmente complementam o salário do colaborador de forma significativa, auxiliam muito na melhoria da qualidade de vida.

Mas é importante lembrar: a empresa precisa entender que tipo de benefício é relevante e útil para que o colaborador use-o para a melhoria do seu bem-estar e das pessoas que ele ama. 

Não é sobre ter uma imensa cartela de benefícios, difícil de gerenciar e que gera pouca percepção de valor. É sobre oferecer vantagens que possibilitam o acesso do colaborador a serviços e produtos úteis para sua saúde financeira, física, mental e também o bem-estar social.

Uma estratégia interessante nesse caso é optar por fornecedores que oferecem uma cartela flexível de benefícios, ou seja, em que a empresa e o colaborador podem definir quais produtos ou serviços são mais relevantes para o seu cenário e, sem adicionar complexidade no processo de gestão, o RH é capaz impactar de forma significativa a saúde financeira dos funcionários.

Conheça mais sobre benefícios flexíveis aqui.

Clima organizacional e outras iniciativas de gestão de pessoas

Além de oferecer benefícios corporativos relevantes aos colaboradores, o RH pode aplicar diversas estratégias capazes de impactar a saúde financeira dos colaboradores e, consequentemente, trazer maior bem-estar físico, mental e social. 

As políticas de treinamento e capacitação representam um pilar importante desse processo. Não apenas por possibilitar evolução dos funcionários em sua performance técnica e/ou habilidades interpessoais, mas também por poderem incluir aprendizados específicos voltados para as finanças e, assim, contribuir para que os colaboradores lidem melhor com o dinheiro. Afinal, é importante lembrar que a educação financeira não faz parte da realidade da maior parte dos brasileiros. Já pensou sobre isso?

Além disso, proporcionar aos trabalhadores um ambiente seguro, especialmente na relação entre líderes e liderados, para que eles se sintam confortáveis para compartilhar questões pessoais que possam influenciar a rotina de trabalho, pode fazer uma grande diferença no que tange ao impacto da vida financeira no trabalho.

Outra forma de entender como está o ambiente de trabalho e como os funcionários estão se sentindo dentro da empresa é através da realização da pesquisa de clima organizacional, que vai trazer muitos insights para melhorias nos processos.

Esses são apenas alguns exemplos de propostas que podem partir da empresa e, mais especificamente do setor de Recursos Humanos, para auxiliar os colaboradores na busca por uma melhor qualidade de vida e bem-estar em todos os aspectos da vida. 

Se você gostou das reflexões que esse conteúdo trouxe e quer saber mais sobre este assunto clique aqui e acesse o infográfico com 10 dicas para aumentar o bem-estar financeiro dos colaboradores.