Júlia Silva

Profissional de Recursos Humanos: o que é, cargos, funções, salário e mais

“Pode passar lá no RH?” 

A frase, conhecida por muitos, não transmite toda a importância e o valor de um profissional de Recursos Humanos.

Afinal de contas, o setor não é exclusivamente responsável pelas demissões e admissões nas empresas. Atualmente, seu papel é muito mais diversificado — e estratégico — pois foca no crescimento individual e coletivo de todos os que fazem parte da organização.

E isso, é claro, é o que leva as organizações a alcançar seus objetivos. Afinal, a empresa não cresce ao acaso — são as pessoas que trabalham ali que fazem isso acontecer.

Mas como se diferenciar em um mercado com mais de 300 mil profissionais de RH espalhados pelo país? Neste post, vamos explorar todo o potencial de desenvolvimento para quem pretende investir em uma carreira na área. Boa leitura!

O que se faz no Recursos Humanos?

Quem pensa em seguir uma carreira em Recursos Humanos (RH) pode se surpreender com a variedade de atuações de quem trabalha nesse meio. É possível focar em Recrutamento e Seleção, Treinamento e Desenvolvimento, Gestão de Desempenho, Legislação Trabalhista, Cultura Organizacional, Diversidade e Inclusão, e várias outras áreas.

É fácil explicar essa grande variedade de oportunidades: o RH é uma área que lida com as pessoas dentro de uma organização. Ou seja: isso envolve todo tipo de cuidado, que pode ir desde as estratégias de marca empregadora, passar pela contratação, e ir até o desenvolvimento e a retenção de talentos.

Confira, em detalhes, algumas funções que podem ser do seu interesse.

Recrutamento e Seleção

Uma das principais responsabilidades do RH é encontrar as pessoas ideais para preencher cada vaga dentro da empresa. No campo de Recrutamento e Seleção, essas são algumas das tarefas que vão exigir um conhecimento qualificado:

  • Escrever anúncios de emprego;
  • Analisar currículos;
  • Conduzir entrevistas;
  • Fazer testes para garantir que os candidatos tenham as habilidades e qualificações necessárias para o cargo;
  • Gerenciar processos e agendas.

Treinamento e Desenvolvimento

O RH também é responsável por garantir que os colaboradores tenham as habilidades necessárias para serem bem-sucedidos em seus respectivos papéis. 

Para isso, programas de treinamento, workshops e outras iniciativas podem ajudar os funcionários a melhorar suas habilidades e conhecimentos.

Os profissionais de RH que lidam com essas atividades precisam, entre outras ações:

  • Gerenciar fornecedores;
  • Controlar orçamentos;
  • Negociar com lideranças;
  • Desenvolver avaliações de desempenho.

Gestão de desempenho

O setor de Recursos Humanos precisa acompanhar a performance dos funcionários por meio de bate-papos regulares, feedbacks e avaliações de desempenho.

Esse trabalho analítico ajuda a identificar áreas de melhoria, reconhecer conquistas e garantir que todos contribuam para os objetivos da empresa de maneira contínua.

Relações trabalhistas e legislação

Esse tipo de especialização permite ao profissional de RH contribuir para que a empresa cumpra todas as leis trabalhistas e os regulamentos associados às diferentes atividades, como é o caso das normas regulamentadoras. 

O tema também passa pelas questões como salário mínimo, controle de ponto e horas de trabalho, gestão de benefícios e segurança no dia a dia.

Cultura organizacional e engajamento dos funcionários

O RH pode participar ativamente da promoção de uma cultura organizacional positiva e no engajamento dos colaboradores

Para tanto, o setor deve estar à frente de atividades como eventos de equipe, programas de reconhecimento, comunicação interna e o cuidado com o desenvolvimento de um ambiente inclusivo e acolhedor.

Quem faz Recursos Humanos trabalha em quê?

Dentro do escopo de responsabilidades e especializações que citamos acima, um profissional de Recursos Humanos pode desenvolver as suas habilidades de maneira bem segmentada e direcionada. Veja exemplos de carreiras no RH:

  • Diretor de RH;
  • Analista de Treinamento e Desenvolvimento;
  • Gerente de Recursos Humanos;
  • Analista de Recursos Humanos;
  • Especialista de Employer Branding;
  • Especialista de Remuneração e Benefícios;
  • Gerente Business Partner;
  • Analista de Recrutamento e Seleção;
  • Analista de benefícios;
  • Analista de Desenvolvimento Humano;
  • Analista de Cargos e Salários.

Vale a pena, então, ficar por dentro de alguns dos cargos que existem dentro das organizações e, assim, ter uma perspectiva clara sobre as metas de carreira.

Qual é a função do setor de Recursos Humanos?

Independentemente de onde você queira se aperfeiçoar, o objetivo geral do RH é cuidar das pessoas que trabalham em uma organização. 

Sim, é “simples” assim. São profissionais que focam em índices gerais de felicidade, motivação, engajamento e produtividade para que o desenvolvimento individual fortaleça o coletivo da organização — que, por sua vez, beneficia-se disso.

Como resultado, o mercado passa a valorizar mais a marca e essa reputação confere resultados mais promissores ao longo do tempo. É um ciclo contínuo de benefícios, que reforça a importância dos Recursos Humanos, atualmente, como uma unidade estratégica dentro das empresas.

Lembra-se daquela frase, que citamos no início deste artigo? As pessoas não devem temer o RH, mas aproveitar dessa capacidade de desenvolvimento pessoal e profissional que o departamento possui.

Vão existir, sim, demissões, porque isso faz parte do ciclo de vida de cada colaborador. Mas desde que a premissa de “cuidar das pessoas que trabalham na empresa” seja mantida, o valor de cada ação realizada pelo departamento será percebido mais facilmente.

Lembre-se, então, que essa experiência positiva e propositiva deve acontecer em toda e qualquer atividade do RH: desde um onboarding acolhedor, eficiente e adaptável, ao processo de rescisão contratual.

O que faz um profissional de RH e quanto ganha?

Na média do país, o valor mensal é de R$ 3.232, com a faixa salarial variável entre  2 e  5 mil reais.

Entretanto, sabendo da variedade de cargos, é difícil precisar com exatidão quanto ganha um profissional de RH.

O nível de senioridade e as atribuições também ajudam a modificar esse valor. Por exemplo: um Analista de RH Sênior pode receber R$ 85.000 ao ano (média de R$ 7.083,33 por mês) de acordo com dados do Glassdoor — pesquisa feita em 27/03/2024.

Na mesma data, simulamos a média salarial que um Gestor de Recursos Humanos ganha segundo o Vagas: em início de carreira, esse profissional ganha a média de R$ 2.611, mas pode aumentar essa renda para o total de R$ 6.287 por mês.

Essa média pode variar de estado para estado, além dos valores praticados pelas empresas e também pelo grau de expertise de cada candidato. 

Mas deve ter dado para perceber que esses números são bastante elásticos e as oportunidades salariais são muito abrangentes, certo?

Conclusão

O setor de Recursos Humanos evoluiu consideravelmente ao longo dos anos, e já superou a simples associação às contratações e demissões que o setor tem a responsabilidade de gerenciar.

Hoje, sua função é muito mais abrangente e estratégica, e cada vez mais focada no crescimento individual — e, consequentemente, no desenvolvimento da organização.

Para isso, mostramos o quanto o RH desempenha múltiplas funções, mas todas focadas no cuidado com as pessoas. Até por isso, exploramos algumas das diversas especializações dentro do setor, e também falamos sobre a média salarial praticada no país, atualmente.

É seguro dizer, então, que o setor e os profissionais de Recursos Humanos estão à frente de papéis vitais dentro das empresas. É um campo dinâmico e recompensador para quem busca uma carreira centrada nas pessoas e no desenvolvimento organizacional.

Justamente por isso, vale a pena conhecer as tendências e as melhores práticas do mercado. Esses são, inclusive, alguns dos temas de nosso e-book RH Ágil, com metodologias eficientes para um RH mais estratégico. Baixe agora!